PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

quinta-feira, 30 de abril de 2015

César Brito parabeniza a todos os trabalhadores de Bacabal pelo seu dia



Nesse dia o mundo deveria dar mais valor a você que cedo levanta trabalhador,
Você! Que muitas vezes trabalha sem comida 
Você! Que trabalha toda uma vida Mas nesse dia do Trabalhador continua sem valor! 
É quem constrói a Nação Mas é quem menos tem a receber É quem dá tudo de si em troca de nada Trabalhador que planta tem que colher Mas trabalhador é classe, e esta é abandonada;
 Neste seu dia, comemora-se no mundo inteiro. Mas o mundo não conhece quem trabalha, Quem passa uma vida fazendo tudo direito! Mas esse é trabalhador verdadeiro, Aquele que tudo faz calado, não espalha; 
Ah! Trabalhador! Sem casa, sem comida sem saúde! Trabalhador desempregado, desnutrido amiúde Vai trabalhar, que canta, que ri e que chora Vai comemorar o que nessa hora?
 De globalização, de guerra, de desemprego; Trabalhar onde? Foge da seca e no desapego Até da família esquece, vai longe trabalhar Na esperança de um dia tudo melhorar...
TRABALHADOR BACABALENSE, QUE A LUZ DO MUNDO ESPLANDEÇA SOBRE O TEU SAGRADO SUOR. TE DESEJO DIAS MELHORES!
1° de Maio, dia do trabalhador
Uma homenagem do empresário César Brito à todos os trabalhadores de Bacabal e região
FELIZ DIA DO TRABALHADOR!

LEIS FRACAS, IMPUNIDADE GARANTIDA: Homem bêbado que atropelou garota de 8 anos, é liberado após pagar fiança


Laurinha, como era chamada a jovem Laura Marão de 8 anos de idade, estava internada desde o último sábado (25), no hospital UDI em São Luís. Ela, seu pai e seu irmão foram vítimas de um acidente de trânsito, em uma movimentada avenida da capital (Jerônimo de Albuquerque), provocado por um veículo que estava sendo conduzido por um homem bêbado, que ao perder o controle, bateu na traseira do carro em que Laurinha era transportada. No momento ela, sacou fora do banco e sofreu traumatismo cranioencefálico e após  5 dias lutando pela vida, não resistiu e morreu na manhã desta quinta-feira (30). 

O pai e o irmão de Laurinha sofreram apenas ferimentos leves e já receberam alta do hospital.

E mais uma vez a sociedade brasileira é obrigada a baixar a cabeça, ao sentir o gosto amargo da decepção e da injustiça! Digo isso, porque o motorista identificado como Carlos Diêgo Araújo, que estava visivelmente sob o efeito de bebida alcoólica, após pagar fiança, foi liberado. Simplesmente isso, LIBERADO! Gerando assim uma revolta em milhões de Maranhenses, que não aceitam o fato de um sorriso, os projetos e a vida de uma criança de 8 anos acabe sem os motivos naturais, ou tão somente pela fria inércia, e irresponsabilidade de uma pessoa que a partir do momento que ingeri bebida alcoólica e dirige um carro, se coloca na condição de ser um assassino. 
Assassino de si, e de pessoas inocentes como o caso de Laurinha.

Laura Burnett Marão,  era sobrinha de Melissa Marão Fernandes, esposa do empresário Bacabalense Almiro Filho.


O corpo da jovem Laurinha foi enterrado na tarde desta quinta-feira (30). Muita comoção marcou o momento de despedida de parentes e amigos que estiveram no Cemitério da Saudade, no bairro do Vinhas, na capital maranhense.


Abaixo, os desabafos do Pai de Laurinha e de uma enfermeira que a atendeu no hospital UDI. 

Desde o seu primeiro minuto de vida, o amor incondicional que sinto por ti só aumentou durante esse seus oito anos de vida. Meu amor, se Deus me concedesse o poder da premonição ou poder de escolha, certamente queria que o impacto deste acidente tivesse sido direcionado todo para mim, e assim tivesse protegido você e seus irmãos. Mas minha querida,  não foi a vontade Dele, Ele quis que assim fosse e que você passasse por esta provação. Eu tenho uma fé gigantesca e acredito que Ele está com você te dando força e segurando na tua mão,  dizendo que logo logo você vai vencer, superar todas essas adversidades e voltar para meu lado e da tua família,  da mesma forma que você sempre foi.

Acredito impiedosamente nisso, primeiro por ser a vontade de Deus e segundo pelo amor que todos nós sentimos por você. São dias extremamente difíceis, mas que serão recompensados pela tua volta.

Papai te ama mais que qualquer coisa nesta vida, como sabe que Deus está conosco e vai nos conceder esta graça. 

Peço a todos,  por meio deste canal do grupo Marista, local onde aprendi todos os fundamentos cristãos e a verdadeira importância da família,  para que propaguem esta mensagem de fé,  amor e esperança,  e conversem com Deus pedindo que fique ao lado da minha Lala, não desgrude dela, e trague ela de volta. Amém!
Marão Neto.

"Escolhi q profissão de enfermagem para seguir, tomei essa decisão pq senti que poderia dominar bem essa arte de cuidar do outro nos seus piores momentos...o da doença e da morte. Sempre fui muito dura, fui firme e forte em diversas situações que nem eu mesma achava que seria. Mas tem um lado dessa profissão que me derruba e derruba muitos profissionais....cuidar de crianças. Hoje fomos derrubadas pela Laurinha, uma criança linda de 8 anos que sábado passado saiu com o pai e os dois irmãos para o aeroporto super ansiosa pra buscar a mãe que havia chegado de viagem, quando o pai dela parou no sinal vermelho em frente o Atacadao ali do lado do São Domingos, veio um motorista bêbado em alta velocidade e bateu na traseira do carro do pai dela fazendo com que ela fosse arremessada e tivesse um traumatismo cranioencefálico...ela foi trazida pra nossa uti, e então começou a sua luta, que veio a terminar a exatamente uma hora atrás depois de quase uma hora de reanimação...:vocês não tem ideia do que é ver uma criança inocente morrer...a família gritava nos nossos ouvidos pedindo pra gente não deixar o anjo deles morrer...eles estavam na sala de acolhimento e mesmo assim podia se ouvir os gritos daquela família desesperada. E a gente não conseguiu...não Pq não fizemos nosso serviço direito, mas talvez Pq era o dia dela, sei lá. A Laurinha se foi...e me fez refletir, quantas vezes eu e meus amigos dirigimos bêbados por aí! enquanto a gente não se depara com uma situação dessas a gente não entende o risco. Que todos possamos ter consciência do risco que corremos e fazemos as pessoas correr dirigindo alcoolizados...por favor, quem costuma fazer isso, evite. Eu me incluo! Sabe o q aconteceu com o rapaz de 22 anos que causou o acidente? Pagou fiança e foi liberado...nesse feriado ele deve encher a cara de novo e causar riscos pra outros, e a família da Laurinha? Vai enterrá-la!" 
Enfermeira não identificada

Por Israel Braga

Vereador Florêncio Neto confirma que é totalmente contra a privatização do SAAE


Por Florêncio Neto

Correm fortes rumores na nossa cidade de que a prefeitura de Bacabal estaria fazendo uma manobra para a privatização do SAAE. Nós e toda a população queremos que o tema seja debatido com transparência pelo governo municipal.

Esteve presente na noite de ontem, dia 28, na audiência pública o secretário administrativo do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, Vaney Almeida, que detalhou o que pode ocorrer caso a privatização do SAAE venha a ocorrer: haverá demissões, aumentos significativos nas tarifas e outros serviços que antes não eram cobrados, passarão a ser.
O importante é que toda a comunidade bacabalense saiba que para acontecer a privatização de uma autarquia igual ao SAAE é preciso que o processo passe e seja aprovado na Câmara de Vereadores, por isso é importante a participação de toda a sociedade cobrando a posição de cada um dos vereadores sobre esse tema tão importante e que pode afetar a vida de toda a população de Bacabal.

Morre aos 105 anos de idade Djanira Anchieta, avó do Des. Guerreiro Júnior


O triste comunicado fúnebre foi divulgado pelo desembargador Guerreiro Júnior, em sua página oficial do FaceBook. Djanira Cantanhede Anchieta faceleu na tarde dessa quinta-feira (30) em São Luís, vítima de insuficiência respiratória.


Dona Djanira era funcionária aposentada da empresa Correios e Telégrafos do Estado do Maranhão.

O Blog do Israel Braga lamenta profundamente a morte da avó materna do Dr. Guerreiro, e deseja os pêsames a toda a família enlutada. 

quarta-feira, 29 de abril de 2015

MISTÉRIO: Polícia encontra mão humana decepada no Centro de São Luís


Policiais militares que atuam no Centro de São Luís, receberam no início da madrugada desta quarta-feira (29) um chamado de populares para atenderem uma ocorrência estranha e misteriosa.
Trata-se de uma mão humana masculina, aparentemente decepada, localizada na calçada da Praça Deodoro.
Ninguém soube explicar o que de fato aconteceu por lá. Mas os policiais do 9º BPM informaram que o membro esquerdo encontrado pode ser de uma vítima de arma branca que teve o corpo todo esfaqueado e que na hora de seu socorro, a mão pode ter caído.

Sem o nome revelado, a pessoa que sofreu os golpes foi encaminhada durante a madrugada, após chamado ao CIOPS, para o Hospital Djalma Marques, o Socorrão I e em seguida, transferida para o Socorrão II.
O Instituto Médico Legal de São Luís foi acionado e chegou ao local para remover o membro por volta das 5 hs da manhã.

Em protesto de professores no Paraná, cinegrafista da Band é atacado por pit bull da PM



Hoje, quarta-feira (29), durante o protesto de professores, que deixou 150 feridos nas imediações da Assembléia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba, um cinegrafista da Band foi atacado por um cachorro da Polícia Militar.

‘‘Não posso afirmar que o policial jogou o cachorro contra mim’’, disse o profissional da Band, que finalizou: ‘‘Mas a gente que trabalha com isso sabe que esses cachorros só atacam quando é dado um comando’’.


Caminhão está abandonado a 4 meses no centro de Bacabal


Um caminhão Mercedes-Benz de placa HUS-0557/Bacabal-MA, está abandonado a mais de 4 meses em uma via não movimentada. O veículo  foi estacionado na contramão da Rua Raimundo Correia bem próximo a Dias Carneiro na lateral da Itumar (Schin) no centro de Bacabal e até o momento o proprietário do caminhão não foi identificado. 


Funcionários de empresas próximas ao local onde o caminhão foi abandonado acionaram na manhã de hoje (29) a polícia militar para checar a situação do veículo, que segundo o sistema "Sinesp Cidadão" encontra-se totalmente legal:

A PM informou que após a divulgação do fato pela imprensa, aguardará 48H para encaminhar o veículo para o pátio da 5° Circunscrição Regional de Trânsito de Bacabal.


segunda-feira, 27 de abril de 2015

Mais de 100 mil maranhenses ainda não declararam o Imposto de Renda


Faltam três dias para o encerramento do prazo para declarar o Imposto de Renda (ano base 2014) e quase 35% dos maranhenses que precisam prestar contas com o Fisco ainda não enviaram a declaração, segundo informou Receita Federal nesta segunda-feira (27). 

O prazo termina às 24 horas do dia 30 de abril e o auditor fiscal da Receita Federal, Carlos Eduardo França alerta não só para o valor da multa e dos juros em cima do valor devido, mas para outras penalidades. “Os contribuintes que estão obrigados a entregar declaração do IR quando fizerem vão receber uma multa de no mínimo de R$ 165 podendo chegar até 20%. Além disso, o contribuinte terá o CPF suspenso e poderá acarretar diversos tipos de problema”, afirmou. No Maranhão, a Receita Federal espera que 350 mil declarações sejam enviadas. 

O contribuinte que entregar depois do prazo ou se não declarar poderá ter de pagar multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso. O valor será calculado sobre o total do imposto devido, ainda que integralmente pago, ou uma multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

 Quem precisa declarar Estão obrigadas a apresentar a declaração as pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 26.816,55 em 2014 (ano-base para a declaração do IR deste ano). 

Também devem declarar os contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado.
 A apresentação do IR é obrigatória, ainda, para quem obteve, em qualquer mês de 2014, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.


NOTE AI:


Atenção mulheres de Bacabal e região! 
Vocês são nossas convidadas mais que especial para conhecer a "COLEÇÃO INVERNO 1 DA CARMEN STEFFENS" que está imperdível ! 
O lançamento acontece na próxima Terça Feira (28), o dia pra você se apaixonar!

Carmen Steffens Bacabal - Rua Texeira de Freiras, no centro empresárial JV, no centro de Bacabal

domingo, 26 de abril de 2015

Acidentes provocados por animais na BR, marcam o fim de semana em Bacabal


O primeiro ocorreu por volta das 04h00 da madrugada de sábado (24), no Km 374 da BR 316. 

O ônibus que transportava integrantes da banda Forró da Curtição, vinha de Fortaleza-CE com destino a um show que aconteceria na cidade de Belém-PA, quando colidiu-se em uma vaca que atravessava a pista, e desceu um barranco. Apenas um, dos mais de trinta passageiros do ônibus teve que ser encaminhado para o Hospital de Bacacal. Ele quebrou a perna e teve leves escoriações pelo corpo, mas seguiu viagem horas depois junto com os demais integrantes da banda. 

No momento do acidente a vocalista Márcia Felipe não estava no ônibus, ela teria se descolado para o compromisso de avião.

ANIMAL NA PISTA OU EMBRIAGUEZ AO VOLANTE?


O outro acidente, foi registrado próximo a Friobom também na BR 316, no fim da madrugada de domingo (26).

Paulo Silva morador do Alto Cururupu em Bacabal, vinha da cidade de Lago da Pedra-MA, acompanhado de outras duas pessoas em um carro Voyagem Braco (OJB-2196 / BACABAL-MA) quando segundo ele, um animal (Jumento) teria surgido na pista, e provocado o acidente.


Porém, segundo a PRF essa versão pode ser mentirosa, tendo em vista que, Paulo estaria visivelmente embriagado.
A mulher identificada como Flora Costa de 17 anos, foi encaminhada para o Pronto Socorro de Bacabal com ferimentos leves. Ela recebeu alta, ainda no domingo e passa bem. 

A terceira vítima do acidente teria fugido do local com medo de ser identificado pela imprensa.

Criança de 3 anos morre por negligência médica em Pinheiro


Ana Ribeiro, que perdeu o seu filho Pedro Rhyan de 03 anos, no último dia 16 por negligência médica do Hospital Materno Infantil de Pinheiro, divulgou um relato, onde manifesta sua dor e conta detalhes dos fatos que levaram a perda de seu filho.
Na carta, ela lamenta a chegada do dia das mães em que não terá o filho ao seu lado e culpa médicos, enfermeiros e funcionários do Hospital pela irresponsabilidade, negligência e omissão na hora de prestar socorro.
Ela retala que entregou o filho no centro cirúrgico para uma cirurgia simples de hérnia que duraria vinte minutos. Após a cirurgia, a criança passou muito mal. Ana Ribeiro chegou a pedir encaminhamento para que o menino fosse levado a São Luís, mas o pedido foi negado. Após ser mal tratada por enfermeiros e funcionários, a mãe desesperada decidiu pedir ajuda a políticos da cidade, sem sucesso.
Ela acabou recorrendo à ajuda de um amigo secretário do município de Chapadinha, que prontamente a atendeu, enviando uma ambulância equipada para levar seu filho a São Luís e tentar salvar sua vida. A criança acabou falecendo no caminho.
O mais impressionante é que Pedro Rhyan era filho de Jersei Lobato, funcionário do Sistema Pericumã de TV, de propriedade do prefeito de Pinheiro, Filuca.
Informações de Neto Ferreira

sexta-feira, 24 de abril de 2015

César Brito é recebido no Palácio dos Leões, e leva reivindicações dos bacabalenses até a alta cúpula do governo estadual


Como todos sabem, o Governador Flávio Dino obteve uma votação expressiva em Bacabal nas últimas eleições (Mais de 70%), porém, nos primeiros 100 dias de governo nenhuma melhoria nas áreas prioritárias da saúde e infra-estrutura haviam sido anunciadas pelo governo do estado em nosso município, o que tem gerado certa insatisfação no meio social e cobrança incisiva da imprensa local. 

Sensível a essa cobrança, e sedento por mudanças e melhorias na cidade de Bacabal, o empresário e presidente do diretório municipal do Partido Popular Socialista (PPS), César Brito, não pensou duas vezes, e levou as reivindicações de todas as camadas sociais do município até o governo estadual.


Ele foi recebido pelo Secretário de Estado de Articulações Políticas e Assuntos Federativos Márcio Jerry, e participou durante toda a manhã desta sexta-feira (24), de uma reunião na sede do governo no Palácio dos Leões, em São Luís. Durante mais de 4 horas César Brito não poupou palavras para cobrar do governo, asfalto, saúde, educação e etc, para uma melhor qualidade de vida ao povo bacabalense. 

"Bacabal sem dúvida é uma das grandes prioridades do governo do estado. O jovem César Brito é um aliado de longas datas, e é de grande importância para nós a visita dele com o objetivo de trazer as cobranças da população, e ajudando assim na construção de uma Bacabal melhor, e um Maranhão mais justo e próspero para todos os maranhenses..." Afirmou o Secretário de Estado Márcio Jerry.

EM TEMPO: O empresário César Brito pode ser nomeado nos próximos dias pelo governo, ao cargo de Secretário Regional de Articulações Políticas. 

quinta-feira, 23 de abril de 2015

MANIFESTAÇÃO: Revolta e gritaria em frente a sede do Tribunal Regional Eleitoral


A população do município de Raposa, revoltada com a demora no julgamento dos embargos do recurso que cassou o Prefeito de Raposa, Sr. Clodomir Oliveira dos Santos ,resolveu cercar o prédio do Tribunal, privando a entrada e a saída de qualquer membro ou funcionário daquele órgão. 

A confusão foi grande que engarrafou o trânsito naquelas avenidas, virando um inferno. Me aproximei daquelas pessoas e observei que de certa forma eles tinham razão, pois, segundo me informou um daqueles ativistas mais aguerridos, o Presidente do Tribunal, à revelia da própria deliberação da Corte, mandara empossar a segunda colocada nas eleições, sem que antes todos os embargos de declarações estivessem efetivamente julgados. 

Falaram que o antigo Presidente do Tribunal, desembargador Froz Sobrinho, era um homem muito comprometido com o Deputado Estadual Edilázio, que assim agia em nome da desembargadora Nelma Sarney Costa, atualmente Corregedora da Justiça do Estado. 

Enfim, o imbróglio rendeu bastante e os ativistas mais aguerridos mantinham firme a determinação de não arredarem do local, muito menos permitir que os funcionários, advogados, membros do ministério público e os próprios desembargadores deixassem as dependências do prédio sem que fosse julgado definitivamente o recurso do prefeito eleito Clodomir Oliveira dos Santos. 

Por volta das 20:00 horas, após encerramento da sessão, o então presidente da corte, desembargador Antônio Guerreiro, chamou ao gabinete da presidência uma comissão significativa de ativistas para com ele conversarem. Resolvi, meio tímido, me misturar entre os ativistas para ver qual seria a saída pacífica do desembargador presidente diante de tanta revolta.

O desembargador Antônio Guerreiro, muito simpático por sinal, me surpreendeu; recebeu a nós todos com tanta fidalguia que praticamente deixou extasiado até mesmo os mais revoltados. Convidou o desembargador Clodomir Reis para participar da conversa e fornecer às pessoas que ali representavam uma grande multidão os motivos pelos quais pediu para adiar o julgamento do recurso para o final do mês, dia 29. Confesso que não entendi nada da explicação do desembargador Clodomir Reis, mais compreendi as palavras suaves do desembargador Antônio Guerreiro, que, com muita competência, explicou o que havia acontecido na sessão e o porquê do pedido de vista do desembargador Clodomir Reis. 

Carismático e muito elegante - olha, fiquei surpreso - o desembargador Antônio Guerreiro consegui mostrar a nós todos que estávamos lutando erradamente e que os gritos e insultos não fariam com que o prefeito Clodomir Oliveira retornasse ao cargo. O que deveriam fazer era desobstruírem as entradas do prédio e exigirem dos advogados os caminhos jurídicos legais. O certo, meus queridos amigos e leitores, foi que todos nós, inclusive eu, perplexo, aconselhei a que todos fossemos para casa e aguardássemos o resultado do recurso ou da medida cautelar, sei lá, que os advogados do prefeito Clodomir Oliveira dos Santos se comprometeram a tomarem em Brasília diante do grande público que se concentrava nas portas do Tribunal Regional do Maranhão. Sinceramente, tinha o maior desejo de conhecer o desembargador Antônio Guerreiro e agora tenho o maior orgulho de dizer que não só o conheço de perto, como também presenciei a calma de um homem de poder margear as tendências de outros poderosos que queriam usar a tropa de choque contra um povo que apenas bradava a prevalência da soberania popular. Quero parabenizar, igualmente, o coronel Bayma,que chefiava a tropa e que em momento algum se afastou do método projetado, inteligentemente, pelo desembargador presidente. Assim, terminou pacificamente a revolta dos ativistas eleitorais. Disse, um morador da cidade de Raposa.

Morre aos 76, o bacabalense Cícero Chaves


O poeta e instrutor de trânsito Cícero Chaves, 76 anos de idade, faleceu na madrugada desta quinta-feira (23), por volta das 1h45. O corpo ainda se encontra no necrotério do Pronto Socorro Municipal de Bacabal.


Cícero Chaves sofreu um infarto fulminante. Ele era casado com a professora Fátima Lacerda. O velório acontecerá no sítio Lacerdão, localizado na estrada da Bela Vista, próximo ao residencial Terra do Sol. As informações são do Blog do Sérgio Matias.

Abaixo imagens do velório do Sr. Cícero Chaves



Pela primeira vez, Globo admite erro na cobertura das Diretas Já, em 1984


A Globo vem exibindo, ao longo desta semana, uma série no “Jornal Nacional” sobre os 50 anos do seu jornalismo, um marco na televisão brasileira. Na edição de ontem (21), no entanto, algo surpreendeu a todos os telespectadores, que foi William Bonner admitindo o erro na cobertura das Diretas Já.
O movimento pela defesa das eleições diretas para Presidente da República, em meio ao fim da Ditadura Militar, em 1984, foi noticiado como se fosse uma comemoração do aniversário de São Paulo. Ao se referir a esse acontecimento, Bonner, representante do canal, afirmou que houve um erro na abordagem. “Essa reportagem provocou muita polêmica ao longo de muitos anos porque, embora ela falasse do comício das Diretas, o texto que introduzia a reportagem, lido pelo apresentador na época, não falava em comício pelas Diretas”, disse Bonner noespecial, ao lado de grandes jornalistas da emissora. Em seguida, foi ao ar o texto lido pelo jornalista Marcos Hummel (hoje da Record), então apresentador do “Jornal Nacional”: “Um dia de festa em São Paulo. 
A cidade comemorou seus 430 anos com mais de 500 solenidades. A maior foi um comício na praça da Sé”. William então explicou a situação. “Isso aí foi visto durante muitos anos como uma tentativa da Globo de esconder as Diretas e, obviamente, depois de muitos anos também, foi reconhecido como um erro”, admitiu o jornalista. Ele encerrou a abordagem desse assunto divulgando o site Memória Globo para quem quiser saber mais detalhes.
Marcos Hummel deu a notícia "tendenciosa" na emissora (Foto: Reprodução)
Marcos Hummel deu a notícia “tendenciosa” na emissora (Foto: Reprodução)
Na internet, a emissora já havia admitido erro na cobertura das Diretas Já. Na edição do “JN” de hoje, que mostrará os fatos que a Globo cobriu entre 1985 e 1994, abordará fatos como a morte de Tancredo Neves (1985) e o polêmico debate presidencial entre Fernando Collor e Lula (1989), entre outros.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

ATENÇÃO IMAGENS FORTES: Ladrão é alvejado com tiros na cabeça e morre no bairro Setúbal em Bacabal


Mulambo, como era conhecido Jonas Frazão de 20 anos de idade foi morto no final da tarde dessa quarta-feira no bairro Setúbal, região periférica da cidade de Bacabal.

Ele estava sentado na porta da casa de um amigo na Rua São José, quando foi surpreendido por quatro disparos de arma de fogo, efetuados por um, dos dois homens, que segundo a polícia teriam ido executar a vitima como queima de arquivo ou acerto de contas, tendo em vista que "Mulambo" tinha várias passagens pela polícia e vivia as margens da lei. 

Os quatro tiros, atingiram e destruíram o rosto de Jonas, que morreu no local do crime. Os criminosos fugiram em uma moto, que estava estacionada a poucos metros do local. Investigadores da policia judiciária / MA (Civil) também estiveram no local da ocorrência, coletando dados e informações, porém até o momento nenhuma pista da localização dos assassinos foi divulgada.


terça-feira, 21 de abril de 2015

Professor Jerry Ibiapina é exonerado do cargo de diretor da escola Leda Tajra


Por mais que a grande massa da população seja sedenta e clame por mudanças radicais na política Brasileira, isso infelizmente ainda, está longe de acontecer. Vejamos só, quando aparece um "salvador da pátria" prometendo "mudanças" e "transformações" acaba se mostrando quando eleito pelo voto popular, um verdadeiro desastre como gestor, e na maioria das vezes decepcionando a sociedade, ao manter os atos, e atitudes da velha política.

Cito os famosos compromissos políticos, que sempre
contemplam interesses pessoais, tirando do serviço público pessoas competentes e bem mais preparadas para os mais variados cargos e funções.

O atual Governador Flávio Dino, foi eleito pela grande maioria do povo maranhense, com o incisivo discurso que mudaria o Maranhão. Em Bacabal por exemplo, o Governador obteve mais de 60% dos votos válidos. Mas parece que o governador resolveu priorizar as cidades, ondes os prefeitos o apoiaram na campanha... Seria isso? Se for, então, não mudou nada!

Como se não bastasse o Governo do Estado ignorar  todas as dificuldades e problemas de infra-estrutura que Bacabal enfrenta, beneficiando várias cidades do interior e capital, e deixando a princesa do Mearim de fora, algumas medidas impopulares de Flávio Dino em Bacabal, tem gerado revolta e repercussão negativa para o governo.  

Uma delas, foi a exoneração do diretor da escola Leda Tajra, Professor Jerry Ibiapina. Reconhecido pelos pais, alunos e sociedade, o professor Jerry, sem dúvidas deu uma nova roupagem para a escola, e obteve resultados inéditos na historia da educação pública do município. 

Em entrevista exclusiva ao Blog do Israel Braga, pelo WhatsApp o ex. diretor ressaltou que os que hoje representam o governo eram sabedores do trabalho desenvolvido por ele, e mesmo assim acharam melhor tira-lo da direção da escola.


EM TEMPO: Os professores, pais e alunos estão todos revoltados, e prometem fazer manifestações pedindo o retorno de Jerry Ibiapina para a direção da escola Prof. Maria Leda Tajra

segunda-feira, 20 de abril de 2015

15°BPM: Suspeito de tráfico de drogas é preso em Vitorino Freire


A polícia militar esteve durante toda a tarde dessa segunda-feira (20), sob o comando do Ten. Cel. Miguel Neto, realizando uma operação policial na cidade de Vitorino Freire com o objetivo de combater o tráfico de drogas, e prevenir ações criminosas na região. 

Na ação, a guarnição comandada pelo Cap. Araújo prendeu e conduziu até o 1°DP de Bacabal, Edielson Ferreira Gonçalves, conhecido pela alcunha de "Baixinho" de 27 anos, suspeito de ter envolvimento com tráfico de drogas. Com ele a policia encontrou 150 gramas de substância que aparenta ser maconha, além de 2 frascos de solvente. 


Edielson, já responde na justiça pelo crime de tentativa de homicídio, fato esse, que aconteceu a 3 meses atrás também na cidade de Vitorino Freire. 
A polícia chegou até "Baixinho" após diversas denúncias, o pai dele está preso pelo mesmo crime de tráfico de drogas.

Carregamento de cerveja tomba e causa congestionamento na BR-135


Um caminhão transportando cerveja tombou por volta das 4h da manhã desta segunda-feira (20) na BR-135, por volta do km 35, na região de Campo de Perizes, na saída de São Luís. A seguradora informou que está tomando providências para retirar o veículo do local e descongestionar a via. 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o feriado apresenta trânsito sem maiores complicações nesta segunda-feira. Ao todo, foram registrados quatro acidentes com danos materiais nas estradas estaduais, sem vítimas fatais.

EM PRIMEIRA MÃO: Nasce o filho dos empresários Verônica Moura e José Clécio

José Lorenzo Moura Silva


domingo, 19 de abril de 2015

Homem é morto a tiros no bairro Trizidela em Bacabal


José de Ribamar, 49 anos conhecido pelo apelido de "Baratão" foi alvejado por 02 disparos de arma de fogo, na cabeça e, no peito na rua Trav. Antônio Filho no bairro Trizidela em Bacabal.


O crime ocorreu por volta das 17h00 dessa sexta-feira (17). Segundo informações repassadas pela polícia, o principal suspeito do crime, é um homem identificado como Cleyton, que em um jogo de baralho teria perdido a quantia de R$50 para vítima, a qual revoltado por não receber o "pagamento" teria ameaçado Cleyton com um facão, e assim, dado inicio a uma forte discussão entre os dois.


Cleyton teria indo em sua casa, e minutos depois retornado ao local de posse de um revolver (cal.38), e efetuado 3 disparos contra o Sr. Baratão, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Cleyton fugiu em uma moto rumo a povoados da zona rural de Bacabal, e mesmo depois de várias buscas, a polícia não conseguiu localiza-lo.

José de Ribamar era muito querido pelos moradores do bairro Trizidela, trabalhou durante anos no mercado central vendendo peixes, e por ter um bom preço ganhou o apelido de "Baratão". 

Você terá todos os detalhes no programa Balanço Geral da TV Nova Esperança, nessa segunda-feira(20), a partir do meio dia, com Israel Braga.

Cohab conquista o titulo de campeão do Interbairros 2015


Depois de mais de 61 jogos envolvendo 43 equipes e cerca de 1000 atletas, a maior competição amadora de Bacabal chegou ao seu final.
Na noite desta quinta-feira as quatro equipes finalistas decidiram o titulo de campeão, vice- campeão, terceiro e quarto lugares.
No primeiro jogo decidindo a terceira colocação, se enfrentaram: Cajueiro B X Alto Bandeirantes.
Em um jogo de poucas oportunidades, venceu que aproveitou os erros do adversário.
 Após entrada duro, o arbitro da partida marca pênalti em favor do Alto bandeirantes. Babaiara com tranquilidade bateu e fez garantindo a terceira colocação ao alto Bandeirantes.
Na partida principal decidindo o titulo de campeão, entraram em campo o time da COHAB X Trizidela.
Foi um dos jogos mais equilibrados da competição, mas o time da COHAB tinha Gustavo ex-Bacabal Esporte Clube que desequilibrou e de cabeça abriu o marcador 1 X 0, placar do primeiro tempo.
Na etapa final a equipe da COHAB manteve a pegada e ampliou o marcador com Irã em um belo chute sem chances para o arqueiro adversário. Final COHAB campeão do Interbairros 2015 2 X Trizidela Vice-campeã 0.
A premiação ficou assim:
1º Lugar........................R$ 5.000,00 mais troféu e medalha
2º Lugar........................R$ 2.500,00 mais troféu e medalha
3º Lugar........................R$ 1.500,00 mais troféu e medalha
4º lugar.........................R$  1.000,00  mais troféu e medalha
Os artilheiros da competição foram: Gustavo (COHAB) e Geison (SETUBAL)
Melhor goleiro foi Baé (Trizidela).

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Mensagem do Des. Guerreiro Júnior


Não poderia homenagear a minha querida e amada Bacabal, ao tempo em que completa 95 anos de sua emancipação política, sem que antes homenageei os nossos patrícios portugueses, um deles o nosso herói fundador. Daí justificar a minha primeira monção a Portugal, aliás, berço dos meus ancestrais, em particular, do meu avô paterno. 
Portugal, pequenino país da Península Ibérica, situado na parte ocidental, ilhado entre o mar e os reinos de Castela e Leon, foi uma das nações que abriu caminho à descoberta e a exploração da América. Privilegiado por uma rica rede hidrográfica caudal, nascida em Espanha, como os rios Minho, Douro, Guadiana e Tejo, de águas límpidas e cristalinas, com importantes ancoradouros, mormente as fozes dos rios Douro e Tejo, que garantem à nação portuguesa importante plataforma natural para a sua existência vocacionada ao comércio atlântico e ultramarino. 
Uma das mais antigas nações da Europa, existindo como país aproximadamente há oito séculos, Portugal, sujeitou-se às mais alucinadas e regulares invasões, que moldaram o espírito da cultura portuguesa, enriquecida com as viagens dos grandes descobridores, que contribuíram para que o país ficasse mais aberto às influências orientais e à revelação da riqueza brasileira, em joias e ouro, influenciando a utilização da chama barroca na decoração dos palácios, das igrejas, das catedrais, dos castelos dos nobres, enfim, de tudo quanto realizado, à época, pela coroa.
Registram alguns dos historiadores, que Portugal começa pelos fins do Século XI, altura em que a Galiza – reino, que tal como os de Oviedo, Navarra e Castela, se formou com a reação cristã dos visigodos contra os muçulmanos – se encontra dividida em diversos condados, entre os quais o Condado Portucalense, cujo nome lhe vinha da sua principal povoação (Portucale) e que ficava próximo da foz do rio Douro, mais ou menos onde é hoje a cidade do Porto; que o Conde D. Henrique de Borgonha, no ano de 1095, após vencer o combate com os muçulmanos que ocupavam grande parte da península ibérica, tornara-se o comandante de Condado Portucalense, ao receber de D. Afonso de Leão e Castela tal título de nobreza pela recompensa e bravura dos seus feitos de armas. 
Não obstante a bela e empolgante história de Portugal, detentora de um vasto império de rotas que faziam de Lisboa o mais importante comércio europeu, de maior expansão ultramarina, de economia com vocação agrícola e pecuária de exportação, fundamentalmente cerealífero, destacando-se pelo cultivo de trigo e milho, além de importantes produções de azeite, legumes e hortaliças, cortiça, vinhos e calçados, não esquecendo da vasta costa marítima e da abundância de peixes nas águas que rodeiam o país, que favorecem o desenvolvimento da indústria piscatória de sardinhas, anchovas, e o próprio bacalhau do Atlântico Norte, que seria o bastante para dimensionar o valor português, embora a nossa dimensão histórica, no momento, se concentre a meados do século XVIII. 
Com a ascensão ao trono português do Rei D. José I, foi escolhido como Primeiro Ministro, Sebastião José de Carvalho e Melo, o Marquês de Pombal. Devido à personalidade reformadora do novo monarca, instalou-se, no reino, o “despotismo esclarecido”, onde os Príncipes passaram a ter poderes absolutos para atenderem as necessidades dos seus súditos, tendo o novo Rei dizimado o prestígio até então vigente do clero e da nobreza, pondo termo ao Tribunal da Inquisição, que deliberava, sem direito de defesa, fossem queimados vivos todos quantos condenados. 
A dimensão reformadora implantada pelo monarca visava estabelecer maior controle sobre as terras conquistadas. Assim, aos olhos do Marquês de Pombal, criou-se a Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, onde o alto burgo e a desprestigiada nobreza resolveram associar-se. No Maranhão, descia pelas veias correntes dos rios Itapecuru e Mearim as lavouras do arroz da Carolina, do algodão e da cana-de-açúcar, que eram desmanchadas nas moendas dos grandes senhores de engenhos ao manejo da força do trabalho escravo, cujos negros africanos, traficados de Angola, aportavam no Rio de Janeiro, onde eram leiloados aos seus senhores. A macro visão do Marquês de Pombal levou o rei de Portugal a criar a Junta de Justiça, oportunidade em que o desenvolvimento econômico e cultural abriu um vasto leque de realizações especialmente para o Maranhão. 
Nessa época, em Portugal, no distrito de Braga, viviam dois irmãos: Antonio Vieira da Silva e Francisco Antonio Vieira da Silva. Impressionados com as notícias divulgadas na Corte sobre as riquezas do Brasil, a maior das Colônias já conquistadas, resolveram investir na Companhia idealizada pelo Marquês de Pombal. Francisco Antonio Vieira da Silva torna-se sócio fundador da Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, enquanto seu irmão Antonio Vieira da Silva, casado com sua prima dona Josefa Maria, pais do Capitão José Vieira da Silva, a convite do Marquês de Pombal, veio para o Maranhão administrar, com todos os poderes, a Companhia de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, tornando-se o patriarca de uma plêiade de homens ilustres. 
O rico burguês, Francisco Vieira da Silva, assíduo frequentador da corte de D. José I, nasceu na vila de Guimarães, freguesia de São Sebastião, arcebispado de Braga, no dia 28 de maio de 1720; casou-se com dona Anna Encarnação Monção Ribeiro no distrito de Portalegre, em 30 de junho de 1745, nascendo dessa união os filhos Águeda Maria Tereza, Anna e Domingos Antonio Vieira da Silva.
Águeda Maria Tereza Vieira da Silva, casou-se em Portugal com Lourenço Silva Abreu em 1763, de cuja união houveram duas filhas: Águeda Silva Abreu e Maria Ursula da Silva Abreu, esta, tempos depois, casou-se com seu tio Domingos Antonio Vieira da Silva, cujo neto, Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva, bisneto de Francisco Vieira da Silva, veio para o Maranhão a convite do Comendador Luis Antonio Vieira da Silva, à época, autoridade de grande influência na Corte e principalmente no governo da Província. Aqui, exatamente, inicia-se a história de Bacabal, quando traço a ascendência do fundador desta cidade. 
O Comendador Luis Antonio Vieira da Silva, pelos seus feitos de bravura e pela intima amizade que tinha com o monarca e principalmente com o Marquês de Pombal foi presenteado com significativa quantidade de terras, cujos mapas demarcavam a propriedade de vale a vale, mas somente se utilizava daquelas que já haviam sido beneficiadas e em plena produção. Era exatamente a localidade onde hoje se encontra instalado o Município de São Luis Gonzaga. 
Contou-me certa feita o historiador Fabrício Gonçalves de Moraes – pessoa bastante conhecida no vizinho município de São Luis Gonzaga pelos seus conhecimentos históricos – que a rica mancha de terras destinadas ao Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva, eram bem mais férteis do que aquelas que ficavam à margem direita do rio Mearim, revelando-me, ao folhear seus escritos históricos, a dificuldade que teve o Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva de se relacionar, logo quando aqui se instalou, com os nativos que habitavam a região. 
O certo é que o nosso bravo herói, logo que chegou ao Brasil tinha a incumbência de desenvolver e colonizar as terras da margem esquerda do rio Mearim, aliás, motivo de deixar a sua pátria e vir para o Maranhão. Acompanhado por um tenente coronel da brigada e de outros tantos serviçais do Comendador Luís Antonio, o Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva subiu o velho Isó navegando, por dias, em dois batelões, um dos quais carregado de suprimentos. Aportou, então, numa baixa de terra firme, rudimentar, onde um estreito caminho se prolongava em aclive ao topo de uma pequena área plana, onde não morava ninguém e onde o mato entrelaçado encobria a visão de sua amplitude. Decidiu se instalar nesse local, pois sabia que alguém, a qualquer tempo, retornaria àquele lugar. Algumas semanas depois, confrontou-se com os índios, resultando dessa disputa a morte do tenente coronel, pessoa da mais alta estima e confiança do Comendador Luis Antonio Vieira da Silva. 
Aborrecido com a morte desse seu antigo e leal escudeiro, o Comendador resolveu desistir daquelas terras, tendo-as doado para Antonio Lourenço Vieira da Silva, pedindo-lhe, contudo, que fundasse uma colônia indígena para o que dispunha de homens preparados e recursos financeiros da coroa para catequizar os nativos. O Capitão aceitou a proposta do Comendador, tendo este se empenhado para que o Presidente da Província, Dr. Eduardo Olímpio Machado, baixasse a Portaria de 11 de abril de 1854, autorizando o Capitão Antonio Lourenço Vieira da Silva a fundar a Colônia Indígena Leopoldina, trazendo consigo diversas pessoas, dentre tantas, vários missionários religiosos. 
Não foi difícil, com o auxílio dessas pessoas, rapidamente conquistar a confiança das três tribos indígenas que habitavam essa parte do rio. Estabelecida a relação de confiança entre o Capitão e os índios Timbiras, Crenzés e os Pobzés, a Colônia Leopoldina passou a produzir arroz, feijão, milho, mandioca e algodão, inicialmente para atender a sua própria necessidade, posteriormente pelo significativo aumento da produção fez-se necessário a venda para o mercado distribuidor, localizado na sede da Província. Subindo ainda mais o Mearim, observou o Capitão Antonio Lourenço Vieira da Silva que toda aquela região, tanto de um lado quanto de outro do rio, era ornamentada por frondosas palmeiras, de caule anelado, de folhas verdes e paralelas, de flores branco amarelado e com frutos carnosos de tom rosa escuro, bastante oleoso a que os índios chamavam de wa’kawa – bacaba, bacabinha, bacau, coqueiro-bacaba e macaba –, devido as mais diversas variedades, de onde os índios Timbiras, Crenzés e Pobzés, extraiam o vinho (que na verdade era suco), faziam doce e azeite e se alimentavam do palmito. Do tronco e folhas construíam suas casas, cortavam a lenha e dos talos faziam lanças e bengalas. 
O nome científico da bacaba, que registra três espécies tem-se como: 1ª Oenocarpus Circumtextus; 2ª Oenocarpus Multicaulis e 3ª Oenocarpus Tarampabo. 
Nessa época, o algodão branqueou o pequenino vale do Isó, como era conhecido pelos índios o pardacento rio Mearim. A Colônia Indígena Leopoldina se tornou a mais próspera de todas as colônias da Província, devido à intensa produção do arroz, feijão, milho, mandioca e outras lavouras de vazante, atraindo, com a alta fertilidade das terras, a convergência imigratória de lavradores, fazendo com que se expandissem as áreas de produção. Todavia, em fevereiro de 1878, portanto, logo no início do ano, a Colônia Indígena Leopoldina foi significativamente afetada por uma epidemia de malária, que dizimou muitos dos índios que a ela integravam e os que sobreviveram não mais tiveram o interesse de permanecer nas terras, refugiando-se, ao que se sabe, em diversas outras regiões deste Estado, motivo pelo qual o Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva foi obrigado a acabar com a Colônia Leopoldina, passando a chamar o local de Fazenda Bacabal. 
Contudo, restaram centenas de trabalhadores rurais, muitos dos quais apesar de atingidos pela peste, permaneceram morando nos arredores da casa sede da fazenda. O Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva continuou a desenvolver o trabalho lavoureiro, ao que estabelecia parceria agora com os lavradores, que continuavam a imigrar para aquele local. Passou, também, a adquirir os produtos agrícolas do alto Mearim transportados nos velhos batelões. Fez com que o porto da fazenda fosse parada obrigatória de todos os lavradores que laboravam rio acima. Adquiriu suas próprias embarcações e após beneficiar os produtos agrícolas, principalmente o babaçu, vendia-os no mercado da Capital da Província. 
O progresso da Fazenda Bacabal foi de tal sorte que despertou interesse do Governo, a ponto de instalar, em abril de 1885, na sede da Fazenda, um posto de postagem do correio que era utilizado como elo de comunicação, através da fluvial navegação de cabotagem. Assim, o Capitão Lourenço Antonio Vieira da Silva, extremamente rico, cansado de viver isolado e principalmente por nutrir uma saudade incontrolável de Guimarães e de sua gente, em fevereiro de 1888, vendeu a fazenda para o Sr. Raimundo Alves de Abreu, retornando para Portugal. 
Com a aquisição da propriedade por Raimundo Alves de Abreu, a Fazenda Bacabal passou a ser chamada de “Sítio dos Abreus”, que, do mesmo modo e na mesma intensidade continuou a prosperar, sendo cada vez maior o fluxo de lavradores imigrantes que advinham de outras cidades do Nordeste. O Sítio dos Abreus inaugurou o ciclo da pecuária na região, em agosto do ano de 1905, quando, então, os lavradores foram obrigados a plantar capim nas quadras de terras que utilizavam na lavoura, o que permitiu um maior crescimento para o povoado. 
Em 17 de abril de 1920, através da Lei n° 932, outorgada pelo então Governador do Estado, Dr. Urbano Santos da Costa Araújo, o povoado “Sítio dos Abreus” foi elevado à categoria de Vila, passando a ser chamado de “Bacabal dos Abreus”, sendo que a 7 de setembro do mesmo ano (1920), instalou-se, oficialmente, o Município de Bacabal, com seu território desmembrado do Município de São Luís Gonzaga do Maranhão, à época, com 9.500 habitantes em todo seu território. 
Finalmente, através do Decreto-lei n° 159, de 06 de dezembro de 1938, do Governador Paulo Ramos, Bacabal passou à categoria de cidade, tendo sido administrada até agora pelos seguintes prefeitos: Jorge José de Mendonça, Manuel Guimarães, Jorge José de Mendonça, Raimundo Teles de Menezes, Odorico Miranda Leal, Pedro José de Sousa, Joaquim Ribeiro, Manoel Campos Sousa, Ranulfo Fernandes, José Maria Sousa, Ranulfo Fernandes, Vicente Medeiros, Raimundo Marques, Belarmino Freire, Lauro Oliveira, Raimundo Assenço Costa Ferreira, Raimundo Santos, Francisco das Chagas Araújo, Euzébio Martins Trinta, Lino Feitosa, Joaquim Paulo Gonçalves, Aristarço Martins, Alceu Pereira Martins, Euzébio Martins Trinta, Francisco Borges de Matos, Mariano José Couto, Frederico Leda, José Everton de Abreu, Raimundo Trindade Vale, Frederico Leda, João Gomes Vidal, Antonio Pereira da Silva Neto, Benedito de Carvalho Lago, Carlos Alberto Dias Sardinha, Manoel Quadros de Oliveira, Francisco Coelho Dias, Juarez Alves de Almeida, José de Sousa e Silva Filho, Raimunda Ramos Loiola, João Alberto de Sousa, Jurandir Ferro do Lago, Jocimar Alves de Sousa, José Vieira Lins, José Vieira Lins, Raimundo Nonato Lisboa, Raimundo Nonato Lisboa e José Alberto Veloso. 
Não posso deixar de registrar o fato da minha querida amiga, Raimunda Ramos Loiola, de saudosa memória, ter sido, até então, a única mulher Prefeita do Município de Bacabal, oportunidade em que homenageio carinhosamente todas as mulheres bacabalenses. Também ressalto a figura ilustre e carismática de um jovem médico cardiologista, meu estimado e particular amigo Dr. Hildalgo Leda, que Deus o levou para servir na eternidade, como tantos outros notáveis que também paginaram de alguma forma a nossa história contemporânea: Dr. Coelho Dias, Pedro Brito, Dr. Juarez Almeida, Dr. Luis Fernando, Otávio Pinho, Dr. Chico Dias, Dr. Antonio Augusto, Nely Berrêdo, Evelucia, Maria Rocha, Raimundo Reis, Cotinha, Cacilda, Conceição, Walter Marques, Dr. Antonio, Dr. Deusimar, Dr. Ribamar, Dr. Bete Lago, Raimundo Sérgio, Eduardo Leão, Bavepel, Rosalino, Weligton Nogueira, Pedro Santos, Atanásio, Arquimedes, João Enfermeiro, Maneco, Dicoendo e outras extraordinárias personagens.
Quanto a mim, não foi difícil o meu relacionamento com o povo, a quem sempre dediquei atenção e respeito: ricos e pobres, brancos e negros, enfim, a mistura das raças que caracteriza a miscigenação vertical do bacabalense. Aqui, tal é a minha raiz que divido o exercício pleno da judicatura com a poesia e com a música. Tive a honra de conhecer o “Velho Tchaca” dedilhando nas madrugadas frias seu sonoro violão, nas serestas iluminadas e nas cantorias que todos fazíamos pelas ruas desta terra e que ainda hoje galhofamos com as lembranças de outrora. Era a liberdade de um homem envolvido com a arte, mas plenamente responsável com os deveres do cargo, sacerdócio que abracei espelhado na fantástica carreira do meu pai, homem até hoje respeitado pelo porte altivo e pela honestidade com que exerceu a magistratura.
Naquela época, década de oitenta, formava-se em Bacabal uma plêiade de artistas, cantores e compositores de escol, que ainda hoje vivem na noite a levar alegria e descontração através da melodia suave que aprenderam nas serestas das noites enluaradas da Graça Rocha, onde eu e o nosso Chicão, de saudosa lembrança, principiávamos a festa: eu, cantando “José”, Chicão entoando “Yesterday”. Daí em diante seguiam outros eméritos personagens da história contemporânea de Bacabal, citando como referência, “Zequinha Leite”, de saudosa memória, Almiro Paiva, Antonio da Brahma, Cleuton, Lisboa, Elígio Almeida, Jeferson Santos, Antonio Carlos Lago, Jean, Agnelo, Junior do SAAE, Fátima, Zilda, Zeile, Soninha, Ernildes, Ana Maria, E assim passávamos a madrugada, comendo paçoca, carne seca e tantas outras iguarias feitas por Graça Rocha, mulher das mais extraordinárias que conheci e que ainda hoje tenho a honrar da sua belíssima companhia. E por falar em musica é importante viajar nesse mundo de sonho e poesia, buscando os acordes do Sr. Almir Garcês, nosso Açaí, criador da primeira escola de música bacabalense e da renomada “Santa Cecília”, harmoniosa nas notas de Dionésio, José Carlos, Aldemir, Manoel Marinho, Antonio Monteiro e Outros, entoados pela voz de Roseli, Antonio Monteiro, Luis Francisco Ferreira, Simão Lopes, Antonio Lado, Agnaldo Frazão, Claudionor Carvalho, Jacinto, Tchaca e Raimundo, isso sem contar com a percussão e repercussão do nosso “Boi da Lua”, de “Papete”, orgulho bacabalense. 
Oportuno o destaque aos valores da música popular bacabalense: “Zé Lopes, Perboire Ribeiro, Marcos Boa Fé, Marcos Maranhão, Assis Viola, Raimundinho, Zeneide Miranda, Emanuel de Jesus, Francivaldo, Josa, Davi Farai, Josué, Duvâneo, Welligton, Carol, Dayse, Natália Nunes, Júnior Manga Rosa, Thiago Santos, Jessica, Luana Magalhães, Chico da Buzina, além das magníficas bandas instrumentais Los Magos, Popnejo, Swing Mania, Beijo Quente, Letícia e Ruan, Badalados, Banda da Fofa e muitas outras. Na música religiosa: Adonai, Ludmila Amaral, Lilian Brasil, Kezia Raposo, Andressa Sipauba, Edivânia e Miqueias. Finalmente, os grupos de pagode: Compromisso, Marossamba, Anekssamba, Sambinha e Companhia e Guerreiros do Samba, homenagem que me prestou um valoroso grupo de jovens artistas comandados pelo meu queridíssimo amigo Masa. 
Esta é a histórica cidade de Bacabal, que somente se ressente da falta do Beção Maravilha – o nosso BEC – a preencher o vazio esportivo ao toque cadenciado da bola no gramado do Estádio Municipal José Nery Corrêa – O Correão. Rendo finalmente minhas homenagens à memória dos magníficos e dedicados mestres Alice Mendes, José Bonifácio, Safira, Belinha, Gertrudes, Camélia, Elisa, Nadir, Juarez e tantos outros ilustrados e aguerridos professores.
Não poderia finalizar esta homenagem sem destacar a lembrança da Dra. Laura Vasconcelos, primeira médica do município, cuja memória eternizou-se no primeiro hospital público de Bacabal, assim como cultuar as intercessões milagrosas da lendária Edite. 
Parabéns minha adorada e amada Bacabal pelos teus 95 anos de glória.